fbpx

O Que é Mountain Bike? Guia Completo e Definitivo.

Mountain Bike é uma modalidade do ciclismo ou um tipo de bicicleta. Este Guia Completo vai tirar todas as duvidas e dar dicas e sacadas sobre o Mountain bike.

De uso misto, as bicicletas de Mountain bike caíram nas graças dos brasileiros por conta da sua versatilidade e durabilidade. Em Portugal são chamadas de BTT, que significa Bicicleta de Todo Terreno.

Já o MTB, é um acrônimo ou sigla que simplesmente abrevia o nome Mountain Bike. E é usado assim não só no Brasil, como no mundo todo.

O nome da modalidade que se pratica com as bicicletas de MTB se chama Mountain Bike, e esta é uma derivação ou modalidade do ciclismo tradicional.

No artigo sobre A História do Mountain Bike e Como Surgiram as Primeiras Bicicletas você conhece um pouco mais sobre essa modalidade.

Como se chama o praticante de Mountain Bike

Quem pratica o MTB é chamado simplesmente de ciclista ou mountain biker. E é assim praticamente para todas as variações da modalidade.

Em certos casos como no Downhill a tribo se chama de downhilheiro e no Enduro e All Mountain de trilheiros.

Mas tudo isso pode variar de região para região. Sendo então os termos comuns mais usuais.

Varias submodalidades de um mesmo esporte

Como dito no artigo sugerido, após o surgimento do mountain bike nasceram varias outras sub modalidades, que podemos dividir em:

  • Mountain Bike Cross Country ou XC – XCM/XCO;
  • Downhill ou DH;
  • Enduro;
  • All Mountain
  • BMX;
  • Freeride;
  • MTB Urbana;
  • Bike Trial e:
  • Bikepacking.

Com características que as vezes podem ser sutis para leigos, cada uma possui regras, equipamentos, locais e formas distintas de serem praticadas.

Características básicas de uma bicicleta de Mountain Bike

Uma bicicleta de mountain bike deve suportar transitar por todo tipo de terreno. Entendemos disso então, as estradas de chão, as trilhas em matas, estradas rurais, singletracks e até mesmo asfalto, dentre outros.

Uma boa bicicleta de mountain bike, mesmo que de entrada deve reunir atributos como como:

  • Leveza;
  • Conforto;
  • Manobrabilidade;
  • Rigidez;
  • Durabilidade;
  • Confiabilidade e;
  • Segurança.

Fatores nas bicicletas como a durabilidade, leveza, resistência e confiabilidade são fundamentais, e os modelos mais avançados devem carregar muitos, ou todos destes atributos.

Pacotes de freios hidráulicos, suspensões mais eficientes baseadas em tecnologias de molas, óleo e ar compõem as características como segurança, conforto e manobrabilidade, por exemplo.

Entretanto, essas características são mais relevantes a medida que as habilidades do ciclista evolui.

Para um iniciante ou para um praticante em busca de lazer, uma bicicleta não precisa ser extremamente leve, por exemplo.

Até porque no mundo do ciclismo materiais mais leves são sinônimo de custo mais alto.

Cabe aos fabricantes criarem novos modelos mais competitivos e divertidos, mantendo contudo, as características de uma bicicleta de montanha citadas acima.

Bicicletas cada vez mais especificas

Certas bicicletas, estão tão evoluídas em sua proposta que realmente são raras de serem vistas e em alguns casos não seria possível pedala-las nas ruas.

Como é o caso das bicicletas de Bike Trial como na imagem abaixo.

exemplo de uma Bike trial em o que é mountain bike

Do que são feitos os quadros para bicicletas de Mountain Bikes?

Os materiais mais populares para a construção dos quadros das bicicletas de MTB são:

  • Aço;
  • Alumínio;
  • Cromolibidênio;
  • Titânio e;
  • Carbono

Vale ressaltar que existem inúmeros materiais sendo testados e que existem outros materiais empregados. Um exemplo são os quadros feitos de bambu. Entretanto, não são tão populares.

Mountain Bike com quadro feito de bambu
Mountain Bike com quadro feito de bambu

Quadros de bicicleta feitos em Aço

As bicicletas feitas em aço ainda possuem seus adeptos, especialmente no Cicloturismo. Contudo, perderam muito espaço por conta do peso e do preço do alumínio.

mountain bike com quadro de aço
Mountain Bike com quadro de aço. Modelo muito simples e indicado para passeios leves.

Por muitos anos as bicicletas feitas em aço dominaram o cenário, não só no mountain bike, mas também em outras modalidades.

Mesmo com o baixo custo, o seu peso e fatores como ferrugem e oxidação deixaram esse material obsoleto para construção de bicicletas de trilha.

Nas bikes urbanas e em alguns modelos de passeio ainda é possível velo em produção.

Quadros de bicicleta feitos em Alumínio

Atualmente o material mais usado na construção das bicicletas de montanha é o alumínio, por ser leve, resistente e barato.

Mountain Bike com quadro de alumínio da marca nacional Vzan
Mountain Bike com quadro de alumínio da marca nacional Vzan

É possível encontrar no mercado bicicletas de alumínio que vão da mais simples até bicicletas com excelente performance.

Em caso de impactos o alumínio não se quebra, porem se deforma. Dependendo da pancada o quadro pode ter que ser inutilizado, ou ainda ter uma longa sobrevida dependendo exatamente deste impacto sofrido.

Contudo ele apresenta alguns pontos negativos, como por exemplo conforto. Já que por uma característica do próprio material ele não é tão maleável.

Quadros de bicicleta feitos de Cromo-molibdênio

Cromo-molibdênio é a mistura de Ferro, Cromo e Carbono e ainda outros metais e compostos químicos.

Ao contrário do Carbono, o cromo-molibdênio é resistente em todas as direções e diferente do Titânio apresenta muito maleabilidade.

mountain bike com quadro de cromo-molibdênio
Mountain Bike com quadro de cromo-molibdênio

Os quadros de bicicletas feitos de cromo-molibdênio são muitos resistentes a ferrugem e oxidação.

Raramente veremos um quadro de bike feito em cromo-molibdênio quebrado, geralmente é possível encontrar trincas.

Entretanto é até difícil de se imaginar um tipo de uso que leve a isso, ou uma queda capaz de romper este material.

De toda forma, o cromo-molibdênio aceita vários reparos sem que isso afete em boa parte dos casos a sua estrutura e resistência.

Quando bem projetados, são confortáveis e já foram muito usados em bicicletas de alta performance no passado. Um ponto negativo é o seu peso em relação ao carbono e seu custo em relação ao alumínio.

Quadros de bicicleta feitos de Titânio

O Titânio é o mais caro é o mais complexo material que pode ser usado na construção de quadros para bikes.

Seu preço é muito alto, quase tão alto quanto a sua resistência e durabilidade. Entretanto, o titânio possui uma incrível capacidade de absorção de energias, ou se quiser chamar, de impactos.

Mountain Bike com quadro de titânio
Mountain Bike com quadro de titânio

Por isso os quadros de Titânio estão entre os mais confortáveis do mercado.

O Titânio é mais pesado que o alumínio e mais pesado que o aço, e como já dito é realmente difícil de ser trabalhado. Poucas empresas possuem as maquinas necessárias dar moldar o titânio e transforma-lo em tubos.

Um dos pontos fortes é que ele nunca enferruja ou oxida, e tão pouco perde características quando polido. Por isso mesmo quase nunca é pintado.

Quadros de bicicleta feitos de Carbono

A utilização do carbono em quadros de bicicletas, sejam elas de speed ou de mountain bike representou um grande avança no esporte.

Além de resistente, o carbono é super leve e ainda está presente na composição dos quadros de bicicletas de alta performance.

mountain bike com quadro de carbono
Mountain Bike Caloi com quadro de Carbono

Contudo, a medida que o material foi se popularizando passou a constituir quadros de bicicletas de várias gamas.

Inclusive indo para modalidades como Downhill e Enduro, onde acreditávamos que eles não suportariam as exigências das modalidades.

A produção de quadros de Carbono em grande parte ainda é quase artesanal, o que não é de todo algo ruim.

Existem vários tipos de tramas e fibras e cada uma delas pode dar uma determinada característica final ao quadro. Como rigidez, maleabilidade e torção.

Apesar de serem super resistentes, o quadro de Carbono requer alguns cuidados. Por vezes é mais comum que o próprio usuário danifique o quadro em uma manutenção do que propriamente em uso na trilha.

Contudo, diferente do alumínio o Carbono pode ser reparado em muito casos.

O sistema de suspensão e amortecimento das mountain bikes

Para falarmos melhor do sistema de suspensão das mountain bikes vamos precisar separar antes os dois tipos principais de MTBs.

Podemos dividir em dois grupos principais. As Hardtails e as Full Suspensions.

Cada uma delas usa a suspensão de acordo com a característica da modalidade e da proposta da própria bicicleta.

Vamos conhecer um pouco mais sobre cada uma delas.

As Mountain Bikes Hardtails

mountain bike hardtail soul cycles

As Hardtails possuem suspensão apenas na roda dianteira. O sistema de amortecimento está ligado ao próprio garfo e as principais marcas do mercado mundial são:

  • Rockshox;
  • Fox
  • Manitou e;
  • Santour.

No Brasil temos uma marca conceituada de suspensões que se chama Proshock.

Também são mais baratas, porém não menos equipadas e com menor tecnologia empregada na construção.

De uma forma geral, as mountain bikes hardtails são mais ariscas e mais ágeis que as full suspensions. Contudo tendem a ter menos controle em descidas técnicas por exemplo. Para muitos, estas são as bikes escaladoras.

As Mountain Bikes Full Suspensions

As bicicletas Full Suspensions, que em português significa suspensão integral. Como o nome diz, possuem suspensão nas duas rodas.

São indicadas para longas distancias por serem mais confortáveis. Em modelos top de linha possuem alta performance sendo inclusive usads em finais olímpicas.

Por conta de um sistema de amortecimento a mais e por inúmeros links da balança elas são ligeiramente mais pesadas.

Modalidades de gravidade como Downhill, Enduro, Freeride e All Mountain usam massivamente as full suspensions. As full suspensions são conhecidas como bicicletas excepcionais para terrenos de descida técnica.

Características das suspensões

Cada fabricante tem seu sistema de amortecimento ou suspensão próprio, porém as principais soluções são:

  • Mola;
  • Elastômeros;
  • Pneumáticos e;
  • Hidráulicos.

Ainda existem modelos, especialmente nos garfos com suspensão que combinam mais de um sistema.

O que é curso da suspensão

De acordo com cada modalidade, o curso da suspensão pode mudar muito.

As bicicletas com os maiores cursos de suspensão geralmente são:

  • 1 – Bicicletas de Downhill com Garfos que podem passar de 200mm;
  • 2 – Bicicletas de All Mountain e Enduro que chegam até 180mm;
  • 3 – Bicicletas de XC que atualmente chegam até 120mm.
  • 4 – Bicicletas de passeio com 80mm a 100mm.
Exemplo de garfos de suspensão de bicicletas de downhill
Exemplo de garfos de suspensão de bicicletas de Downhill

O sistema de transmissão das bicicletas de mountain bike

A transmissão de uma bicicleta ou grupo é a responsável por transmitir a energia das pedaladas para as rodas. Por tanto, fazer a bicicleta andar.

A transmissão ou Grupo de uma bicicleta de mountain bike compreende:

  • Pedivela;
  • Cassete ou K7;
  • Coroas;
  • Corrente;
  • Trocadores ou câmbios dianteiro e traseiro.

Atualmente os sistemas mais populares são os com Três Coroas, Duas Coroas e Uma Coroa.

Os maiores fabricantes são a japonesa Shimano seguida da americana SRAM. Podemos mencionar ainda a Sunrace e a Microshift neste grupo.

Sistema de transmissão com 3 coroas

Sistema de transmissão com 3 coroas
Pedivela Alivio Shimano que compõem o grupo com 3 coroas

O sistema de transmissão com 3 coroas é formado por um conjunto de pedivela com 3 coroas. Uma maior para maiores velocidades, uma média para cruzeiro e passeios e uma menos para subir morros.

Atualmente são os sistemas mais simples e equipam as bicicletas de entrada.

Os sistemas de transmissão com 3 coroas podem ter de 18 a 30 velocidades em alguns casos ou em adaptações.

Sistema de transmissão com 2 coroas

Assim como o sistema de 3 coroas, o sistema de duas coras recebe duas coroas ao pedivela, com a coroa maior variando geralmente entre 32 a 38 dentes.

Sistema de transmissão de mountain bike com duas coroas. Modelo do pedivela XT
Pedivela Shimano Deore XT com duas coroas.

A coroa menor pode ter de 22 a 28 dentes, contudo isso não é uma regra mesmo.

O mais comum é encontrar de fabrica este sistema com 10 velocidades ou 11 velocidades. O Cassete pode variar de:

  • 11 a 36 dentes;
  • 11 a 42 dentes e;
  • 11 e 46 dentes nos sistemas de 11 velocidades.

Sistema de transmissão com 1 coroa

O sistema de relação com apenas uma coroa foi o mais recente lançamento do mercado.

Sistema de transmissão com 1 coroa Sram Eagle GX com 12v
Sistema de transmissão com 1 coroa Sram Eagle GX com 12v

O primeiro modelo com esta característica foi lançado pela americana Sram, e tinha até então 11 velocidades.

Em seguida, a Sram trouxe o sistema Egle com 12 velocidades e um cassete com um cog de 50 dentes.

A relação com uma coroa se mostrou muito eficiente em terrenos técnicos e trilha travadas. Mas também se propagou para os praticantes do MTB XCM.

Modalidades de gravidade como Downhill e outras também adotaram o sistema.

Sistema de Freios Hidraulicos

Sistema de freios hidráulicos para bicicleta de Mountain Bike. Modelo Shimano SLX

Freios hidráulicos nas bicicletas funcionam através do sistema de rotores que funcionam com o sistema de acionamento hidráulico de pinças.

O sistema mais tradicional ainda é o de pinças mecânicas com sapatas de borracha que param a bicicleta através do atrito com o aro da bicicleta.

sapata de freio de borracha para mountain bike

Apesar de ultrapassado, o sistema ainda é bastante eficiente. Mais eficiente ainda que o sistema de freio a disco mecânico.

Os Pneus das Bicicletas Mountain Bikes

De todas as bicicletas, as mountain bikes são as que possuem os pneus mais largos e mais robustos.

Podemos inclusive destacar as bikes Fat Boy que possuem pneus extremamente largos.

bicicleta fat boy Specialized
Bicicleta Fat Boy Specialized

Assim como acontece com as suspensões, os pneus das bikes também mudam muito de acordo com a modalidade praticada e os tipos de terreno.

Uma mesma modalidade, como o XC por exemplo, pode apresentar uma larga gama de opções, pois os pilotos escolhem seus preferidos e suas combinações de acordo com o terreno da prova ou do passeio.

Mostrar mais

Edu Costa

Pai, Marido e Ciclista amador, praticante de MTB e Gravel que adora competições e procura novas rotas e aventuras com a bike. Acredita no poder transformador do esporte e por isso compartilha experiências e informações. Escreve sobre o ciclismo Road Bike e Mountain Bike desde 2009 em seu primeiro projeto e agora é o fundador e editor do Mountain Bike Brasil

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Gostou do Conteúdo?

Fortaleça o projeto seguindo a gente no Youtube!