fbpx

Gravel Diverge Sport da Specialized – Reviews

Gravel Diverge Sport da Specialized numa analise completa. Conheça tudo sobre a Gravel Bike para todos terrenos da Specialized e entenda mais sobre a Diverge.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

Gravel Diverge Sport da Specialized numa analise completa. Conheça tudo sobre a Gravel Bike para todos terrenos da Specialized e entenda mais sobre a Diverge.

Ao final deste Reviews sobre a Gravel Diverge da Specialized você pode assistir ao vídeo da analise se preferir. Só rolar até o final.

Antes de começar esse Reviews da Diverge, a bicicleta de Gravel da Specialized devo dizer que, eu sou um mountain biker por natureza.

Apesar de pedalar a maior parte do tempo em uma bicicleta de speed para os treinos, a MTB é a minha paixão.

Dito isso, me sinto mais seguro para descrever a minha impressão sobre a Diverge Sport, um dos modelos de Gravel da Specialized.

Gravel Diverge Sport da Specialized
Gravel Diverge Sport da Specialized

Meu primeiro contato com uma Gravel Bike foi no Iron Biker de 2015, quando vi uma destas bicicletas ao vivo pela primeira vez.

Confesso que olhei para o ciclista e já conhecendo o Iron Biker pensei “esse vai se dar mal”.

Pois bem, ele não só se deu bem, como completou os dois dias de prova andando muito bem. Por um lado isso já provava que uma Gravel pode andar em qualquer terreno, ainda bastava comprovar que ela seria uma bike “gostosa” de andar.

De lá para cá não parei de pensar nisso, como seria bom substituir a minha road por uma bike mais versátil e robusta, com pneus mais fortes e que pudesse me levar a passeios e aventuras que uma road não levaria.

Gravel Diverge Sport da Specialized - Reviews

Reviews da Gravel Diverge Sport da Specialized

Isso só se resolveria após um período de testes, literalmente colocando a Gravel Diverge Sport da Specialized em todos os terrenos, desde trilhas, estradão e no asfalto.

Enfim, a oportunidade chegou, e sem mais delongas posso adiantar que é a bike mais divertida que andei nos últimos tempos.

E ainda, é disparada a bicicleta que mais chama a atenção, especialmente quando mountain bikers se deparam com ela no estradão.

Mais ainda, quando me viam descendo trechos técnicos com o que eles chamavam de uma “speed adaptada”.

E sobre isso, precisei explicar diversas vezes que uma bike Gravel não é uma speed adaptada, e tão pouco uma mountain bike magrinha.

O que é Gravel Bike?

Gravel Bike são bicicletas derivadas das bicicletas de speed, entretanto reconstruídas para andar em todo tipo de terreno. Possuem pneus mais largos e estrutura do quadro mais robusta. Simplificando bem…

Diversão e Conforto com a Gravel

A diferença entre mountain bikes e speeds fica clara e tudo começa a fazer sentido quando você anda nela. A ficha cai e você se apaixona totalmente quando descobre que pode fazer bem qualquer coisa.

Depois de andar na Diverge, notei que se a bike falasse ela diria:

“Só quero ser divertida. Terra ou asfalto, não me importo. Isso é você quem vai decidir.”

Uma boa Gravel bike tem a capacidade de transformar o mais torrão dos ciclistas numa criança sorridente.

Sua capacidade de se divertir se resume a quão bem você pode pedalar e o quanto a sua região permite desvios de asfalto para a trilha ou para o estradão.

Se você é como eu que gosta de criar novas rotas a todo tempo, prepare-se. Pois as novas combinações e possibilidades vão explodir na sua frente, tudo depende mesmo da sua imaginação e criatividade. 

Gravel Diverge Sport Specialized

Paixão a primeira pedalada

Me apaixonei instantaneamente quando pedalei na Diverge no Test The Best da Specialized promovido em minha cidade.

Aquilo que eu precisava provar para mim mesmo tornou-se secundário e meu foco se tornou a de descoberta de uma nova bike.

Pedalando com a Gravel Diverge Sport pelas ruas da cidade e nas rodovias pude sentir um pedal mais liso e sem trepidações desconfortáveis.

Além disso, buracos e ondulações não são um problema para uma Gravel, especialmente para a Diverge, graças aos sistemas Future Shock, sobre o qual falo mais adiante.

Estou usando os pneus num primeiro momento mais cheios do que usaria normalmente. Isso porque estou justamente tentando me entender com a pressão e por isso começo com eles bem cheios e venho abaixando aos poucos.

Gravel Diverge Specialized

Entretanto, mesmo assim estou impressionado com a fluidez e a suavidade da Gravel Diverge no asfalto. Até mesmo nos trechos mais acidentados e esburacados.

Já no estradão a bike se sai bem, diria que ela é tão confortável quanto mountain bikes mais simples que eu já tive.

Arrisco-me a dizer que muito em breve, uma Gravel deva concorrer a prêmio de bicicleta do ano no Brasil. Vamos ver para crer.

O Future Shock da Specialized

O Future Shock apresenta uma versão totalmente nova na Diverge, atrás somente do novíssimo Future Shock da nova Specialized Roubaix.

Desenvolvida em parceria com a McLaren Applied Technologies o sistema é instalado acima do tubo do garfo.

Possui 20mm de curso e vem com três tipos de molas diferentes, possibilitando ao piloto a escolha de acordo com o perfil e tipo de terreno.

Future Shock da Specialized. Gravel Diverge Sport da Specialized
Future Shock da Gravel Diverge Specialized. Absorve trepidações e garante o conforto.

Ao contrário do que pude notar na impressão das pessoas que perguntavam sobre o sistema, o Future Shock não tem a pretensão de ser uma “mini suspensão”.

Se fosse este o caso a ideia não seria boa. Contudo, quando se apresenta como deve ser, a coisa muda e a sua capacidade de suavizar o percurso e reduzir a fadiga causada pela trepidação de alguns terrenos é formidável.

Foi curioso, depois de alguns quilômetros de pedal o funcionamento do sistema se torna quase imperceptível. No primeiro pedal longo com a Gravel Diverge em terreno misto que fiz cheguei a parar para ver se estava mesmo funcionando.

E isso, é incrível, ele absorve tão bem as vibrações que depois de um tempo você deixa de nota-las e nem percebe que o Future Shock está ali a trabalhar.

Gravel Diverge Sport da Specialized

Pedalar em pé me encantou exatamente pela simplicidade do sistema, parando para pensar é mesmo muito simples.

A progressividade da mola aumenta ou diminui à medida que é pressionada, por tanto sprints e pedaladas em pé nas subidas não são um problema mesmo.

Apesar de não ser aquela mini suspensão como já falei, notei que em curvas de alta ele me deu segurança ao evitar as quicadas do pneu dianteiro. Dessa forma, devo atribuir a ele também um melhor controle sobre a Gravel Diverge.

Sobre a Transmissão desta Gravel Diverge Sport

Gravel Diverge Sport da Specialized

O modelo Sport que estou testando veio completo com o Grupo 105 da Shimano, exceto pelo pedivela Praxis Works Alba 2D.

Com coras de 48/32 e um k7 11-34. A corrente é uma KMC X11, fabricante de correntes que aliás gosto muito.

Achei a relação deste modelo muito versátil mesmo, exceto em morros muito íngremes. Contudo, isso é facilmente remediado até mesmo no momento da compra, em negociação com o lojista, por exemplo.

Gravel Diverge Sport da Specialized

Quando digo “a relação deste modelo” me refiro as muitas possibilidades que a gama de opções que a linha Diverge oferece.

Desde pedivelas com 53/39 como nas speeds, até relações com uma única coroa e cambio traseiro Shimano XTR de mountain bikes.

Sistema de Freios da Diverge Sport

É preciso aprender a usar os freios de uma Gravel, especialmente a Gravel Diverge do teste que estava com um sistema Hidráulico Shimano R7070 que comprovei serem extremamente eficientes.

Gravel Diverge Sport da Specialized

Ouso dizer que este sistema é até superdimensionado e ele realmente para a bicicleta com muita eficiência, devo dizer que até sobra força na frenagem.  

Aprendendo a frear com uma Gravel nas trilhas

E essa eficiência toda requer um pouco de atenção, especialmente nas primeiras passagens pelas trilhas.

Quando estiver segurando na “cabeça” dos STI’s (manetes) notará que a força que aplicamos na frenagem se parece muito com a modulação que usamos na Mountain bike.

Gravel Diverge Sport da Specialized
Sistema de Freios Hidráulicos na Gravel Diverge Sport da Specialized

Porém, cuidado quando com as freadas quando guiar segurando o guidão pelo drop. A maior alavanca proporcionada pelas longas manetes do STI pode levar potência demais para as eficientes pinças do sistema e acabar travando mais do que você gostaria.

Entretanto, é só questão de costume mesmo, posso garantir.

O Versátil Quadro da Gravel da Specialized

Valendo-se do aclamado Carbono FACT 9r da Specialized a Diverge tem quase nada a provar neste quesito.

Entretanto, mais do que o material, um bom frame exige alguns itens e características para cada modelo, seja para uma mountain bike, quanto para uma speed, por exemplo.

Os engenheiros disponibilizaram neste quadro suportes para que o ciclista pudesse instalar sem gambiarras os paralamas traseiros e dianteiros.

Bem como três suportes para caramanholas, dois no centro do triangulo e um abaixo do down tube.

Quadro com três posições para caramanholas e previsão de instalação de bagageiros.
(pedais e suportes de caramanholas destas imagens são peças de testes do site Mountain Bike Brasil.)

Fiz um Backpackig com a Gracel Diverge com mais de 330 quilômetros, e você pode curtir o vídeo aqui abaixo.

Não testei as furações para bagaceiro da Diverge, mas usei bons acessórios e a forma como ela se comportou me deixou muito contente.

Ora, nada demais! Ok, mas lembre-se que estamos falando de um quadro de carbono.

O garfo, que naturalmente também é de carbono tem medidas generosas e atendendo a pedidos dos ciclistas este novo modelo da Diverge suporta pneus de até 42mm. Isso é ótimo, se a sua pretensão for pegar trilhas e estradas mais cascudas.

Geometria do Quadro da Gravel Diverge

Fiz o dever de casa para entender porque a Gravel da Specialized ganha velocidade tão rápido no estradão e porque se comportava bem nas trilhas.

Descobri que a distância entre eixos é generosa e se assemelha as usadas em algumas speeds de endurance.

Isso e seu desenho aerodinâmico superior à de qualquer mountain bike que me venha a memória enquanto escrevo, somada a posição de pilotagem mais agressiva (quando seguramos ao drop do guidão) torna a Gravel muito rápida no estradão.

Gravel Diverge Sport Specialized

Ao mesmo tempo, o ângulo do tubo da caixa de direção no quadro tamanho 58 é de 72,5 graus. E é isso vai lhe dar segurança nas descidas de trilhas, considerando é claro que não temos uma suspensão.

A altura do Boton Brackt ou Central é de 265mm em todos os tamanhos de quadro. Apenas a título de comparação, uma MTB XC costuma ter entre 310 e 315mm de altura. Já uma speed tem em torno de 260mm, normalmente.

E o que isso nos mostra? Vou explicar na pratica, num momento, e apenas num único momento o meu pedal bateu no chão, na verdade na lateral de uma trilha de vacas num pasto. Coisa que não acontece normalmente com uma MTB.

Os pneus e a roda da Diverge Gravel Bike

A Diverge Sport que estou testando veio com pneus que poderia descrever como 70% asfalto e 30% para uso em trilhas.

Classifiquei um pouco diferente da descrição de fabrica deles que é de 80/20 respectivamente. O modelo é o Sawtooth Sport com as medidas de 700×38.

Gravel Diverge
A Gravel Diverge pode acomodar pneus

O mais importante, no entanto, é que com este modelo de pneus você pode sair da loja e rodar por todo canto.

As rodas possuem peso muito interessante e rodam muito bem, diria até que são bem soltas. E este é outro ponto bacana na Gravel Diverge, você não precisar esquentar a cabeça com upgrades tão cedo. A menos que seja um aficionado por redução de peso.

A bike vem equipada com Rodas da DT Swiss no modelo DT R470, com cubos selados e eixos de 12mm. Outro ponto bacana é que já estão prontas para Tubeless.

O Grip da bicicleta

Em duas oportunidades de curvas em descidas de terra eles saíram de frente, levemente. Fora isso neste aspecto não tenho nada a reportar.

Vale ressaltar que no começo do artigo disse que tenho andado com eles bem cheios e ainda não estou usando tubeless. Certamente com uma calibragem mais acertada isso deva melhorar.

Encontre a calibragem ideal para cada terreno com a sua Gravel

Ainda sobre o grip, nas subidas íngremes em terreno húmido perdi tração e nas descidas patinou como um pneu gasto de uma mountain bike. Ou seja, preocupante, mas não desesperador.

Como dito, pneus de até 42mm podem ser instalados e de acordo com a ocasião os calçados da festa mudam. Diria que isso pode variar não só de ciclista para ciclista, mas também do tipo de terreno predominante na sua região, bem como a ocasião.

Em matéria de conforto, são só sorrisos, mesmo com eles muito inflados.

Guidão bem construído e de pegada rápida

Um Guidão bem construído e de pegada rápida? Eu explico. Aos olhos de um leigo pode apenas parecer um guidão de speed diferentão.

Entretanto, cada curva ali tem um porque e os “para quês” ficam evidentes na pilotagem e na troca de posição das mãos.

Alternar da pegada do manete (STI) para a pegada no drop ou para a ponta do drop são facilitadas e agilizadas exatamente pelo formato do guidão.

Se num primeiro momento isso pode parecer bobagem, lembre-se que falamos de uma Gravel e que andando numa trilha em que pedras e raízes surgem inesperadamente essa fração de segundos resulta em segurança e firmeza na pilotagem.

Vale ressaltar que numa Bike de Gravel a cabeça dos STI’s são mais altas que numa bike de speed comum – quando equipadas com sistema hidráulico de freios.

E isso é o que permite descer segurando a bike também pelos manetes sem que se corra a risco de as mãos escorregarem.

Para uma comparação mais clara, isso lembra muito a pegada dos guidões curtinhos das mountain bikes aro 26 com bar end.

Gravel Diverge Sport da Specialized
O novo guidão da Gravel Diverge está entre os pontos de destaque desta bicicleta.

Se só queriam melhorar o guidão, eu não sei, mas certamente criaram um novo componente de desejo para donos de bikes de Gravel. Diria que até de speed, porque não.

Performance Gravel Diverge da Specialized

Pude fazer em pouco tempo tudo que a bike se propõe, inclusive o bike pack, falta apenas uma ciclo viagem.

Porém, já fiz um passeio para tomar caldo de cana totalmente descomprometido com as métricas de FC e médias altas.

Fiz pedais de trilhas, dois pedais legítimos de XC, pedais de estradão, treino de intervalados no asfalto, longão em rodovia.

Rolou ainda longão de 110km com uma escalada de serra com 48 quilômetros de subida initerrupta, isso na compania do Marcelo Florentino Soares, o Mixirica.

Pedalando com Marcelo Florentino “Mixirica” de Vitória a Pedra Azul. 110 quilômetros com uma subida de aproximadamente 48 quilômetros.

Também fiz dois ou três treinos que mesclaram trilha, estradão e asfalto. Delicia! Mas vamos separar tudo isso para ficar mais claro, certo?

Gravel Bike no Asfalto

De cara já se nota a sensação de flutuação em comparação com uma speed, com qualquer pneu que esteja usando, lhe asseguro.

Para mim que venho de mais de 1.300 quilômetros usando pneus maciços da Tannus na minha speed então, nem se fala.

Vamos deixar essa experiencia mais tangível: Foi como usar pneus de mountain bike no asfalto, mas com muito menos arrasto, muito menos mesmo. Ponto!

Contudo, preciso mesmo fazer uma ressalva. Se está de olho nisso tudo, mas não abre mão de queimar asfalto em alta velocidade, pedalar em pelotões frenéticos e agressivos e fazer médias altas provavelmente essa não é a sua bike. Diria para olhar para uma Roubaix ou similares.

Tenho amigos que andam de Gravel nos pelotes fortes aqui da Região, como no Norte e Sul e na Rodovia do Sol. Entretanto, a um custo de energia mais alto. Mas rodam juntos.

Não vejo como ela pode ser mais rápida e eficiente que uma speed, exceto em pedregulhos e paralelepípedos. E claro, em rodovias em que buracos sejam uma preocupação real ao ponto de lhe travaram as pernas.

Interessante estar levantando esta comparação, já que a Diverge nem se propõe a isso, mas é que achei mesmo pertinente falar.

Olha, um doido de Speed na Trilha

Sim, escutei isso:

“Olha, um doido de Speed na Trilha”

Aconteceu enquanto fazia o reconhecimento do percurso de uma das etapas do Insanity Mountain com dois atletas da Categoria Elite aqui da região, ambos de moutnain bike, evidentemente.

Gravel Diverge Sport da Specialized - Reviews

Com a largura de pneus limitadas e um grip menor em relação a uma MTB XC a Diverge vai exigir o seu melhor numa trilha. Também, a falta de uma suspensão vai consolidar de vez a importância da interação entre ciclista, bicicleta e terreno. Mas ora, isso também não é importante para qualquer mountain biker? Pois sim, e estou explodindo aqui para pensar numa forma de explicar o quanto isso é bom.

Veja, se dentro da trilha técnica não é tão rapido quanto uma mountain bike, por outro lado você está ali, e acredite, foi muito divertido. Estou redescobrindo a experiencia de algumas trilhas por aqui.

Gravel Diverge Sport da Specialized - Reviews
Redescubra as trilhas da sua região com uma Gravel.

Me pego aqui novamente comparando algo que não nasceu para competir neste aspecto, na verdade, uma Gravel quer mais é que você se divirta.

De Gravel no Estradão

Bom, agora os puritanos me matam de vez, mas me perdoem, estou mais rapido no estradão de terra e no cascalho com a Gravel do que com a Mountain Bike. Tanto na Lapierre XR Team Edition Full, quanto na minha velha amiga Soul SL 900 Hard Tail.

A bike embala mais, mantem a velocidade com mais facilidade e tudo isso me cobrando menos energia. Nos estradões bem conservados das plantações de eucaliptos da Fibria – Fabrica de celulose, me sinto como no asfalto com a mountain bike, ou seja, rodando solto.

Gravel Diverge Sport da Specialized - Reviews
A bike de Gravel Diverge voa baixo no estradão e mantem a velocidade com muita velocidade.

Num dos passeios que fiz neste tipo de terreno, com aproximadamente 65km me senti absolutamente inteiro e disposto a fazer mais. E quando penso sobre uma bike de gravel é essa sensação que me vem de pronto a mente. Uma bike capaz de rodar muito e gastar menos energia, que seja divertida e versátil, ao mesmo tempo que responda rápido a um ataque brincalhão no meio de um pedal.

Vale ressaltar também, que nestas trilhas que fiz e nestes passeios eu era o único de gravel entre vários mountain bikers. Estou reforçando isso para frisar que assim como no asfalto uma gravel pode acompanhar uma speed, nas trilhas e estradões você também pode andar com seus amigos mountain bikers numa boa.

Gravel Diverge Sport da Specialized - Reviews

A Diverge nas Subidas

Em poucas palavras, a Gravel Diverge Sport foi a melhor bicicleta que pude pedalar até hoje em subidas. Especialmente subindo em pedaladas fortes em pé, simplesmente um foguetinho, foi pisar e receber a resposta da bike.

Transpus subidas lançadas – tobogãs, com certa facilidade, de fato, até me surpreendi mesmo.

Gravel Diverge Sport da Specialized - Reviews
Suba como se estivesse numa Mountain Bike, confie na bicicleta e faça força!

Nas subidas longas de baixa é média inclinação foi muito amigável também, creio que em parte pela geometria e pela postura sobre a bike.

Nos trechos íngremes, a relação mais leve 32 no pedivela com 34 no cassete não favoreceu muito, contudo isso é absolutamente remediável.

Em todos estes casos tive a mesma impressão no asfalto e na terra.

Nos pedais de todos os terrenos

Feito uma criança, mesclei dois pedais famosos aqui da região. A volta de Fundão de Speed com a Volta Internacional de Mountain Bike. Ambos com mais de 100km e mais de 1000 de altimetria.

A cereja do bolo foi passar por dois singletracks do famoso Gasoduto da Petrobras aqui beirando o mar.

A fusão desta brincadeira resultou no pedal de 98 quilômetros com 950 de altimetria. O divertido disso é que nunca havia pensado nessa possibilidade antes. Por um lado, porque a speed jamais passaria confortavelmente em certos trechos, e ora porque pneus de MTB estão caros para serem torrados no asfalto áspero da região.

Foi a primeira vez que sai do asfalto em velocidade para entrar na terra com a Diverge, e realmente fiquei muito curioso para ver como seria essa transição. E sabe como foi? Absolutamente suave! O contrário também aconteceu, da terra para o asfalto e novamente a coisa fluiu muito bem.

Fazia tempo que não me divertia mesmo antes do pedal começar, desde o rabisco da trilha no Gamin Conect até a experiência do passeio em si. Na verdade, simulei parte do trajeto de ida do meu bike pack para Dunas de Ituanas. E nossa, isso tem que rolar.

E de repente percebi, é isso que uma bike deve lhe proporcionar afinal, diversão! Ainda não estou na conclusão do meu reviews, mas me diverti treinando com a Gravel, me diverti passeando e me diverti traçando a rota do meu primeiro bike pack.

A Gravel Diverge é segunda bicicleta perfeita para um Mountain Biker ou para um Spedeeiro?

Ual, que pergunta é essa? Onde fui me colocar agora?

As experiencias off-road me fizeram sorrir de orelha a orelha, mesmo sendo um mountain biker.

Treinei intervalados com a Diverge no asfalto e o resultado não deixou mesmo a desejar. Ainda fizemos treinos no pelote e essa dupla não fez feio.

Enquanto isso, o prazer de ligar estradões e rodovias não deixou por menos. Literalmente, o poder do tanto faz e da liberdade pra improvisar e escolher gritou bem forte mesmo.

Sabe aquele dia em que estava numa bike de speed, viu uma estrada de terra e pensou: Cara, onde isso vai dar? Então, numa Gravel é só ir e descobrir improvisar, brincar; É sério, simples assim. Vá ver onde isso vai te levar.

Gravel Diverge Sport da Specialized - Reviews
Viu uma nova estrada? A sua nova companheira de aventura te leva.

Não é de modo algum super-rápida na estrada, tão pouco sinestésica como uma mountain bike. Mas foi a bike mais divertida que andei nos últimos tempos.

É mais uma bike que oferece muito mais do que eu posso sugar dela e pensa-la como uma bike para fazer apenas viagens é limitá-la demais.

Falando do seguimento da Gravel agora, e não especificamente sobre a Diverge, posso dizer que reuni sensações para afirmar que não é um novo produto sendo empurrado pra gente. É questão de tempo para a coisa pegar por aqui, tenho certeza.

Hoje me perguntei: Uma Diverge seria a segunda bike de alguém? Amanhã a coisa pode se inverter e “graveleiros” vão pensar: Compro agora uma speed ou uma mountain bike?

Vídeo com o Reviews da Gravel Diverge Specialized

compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

comenta ai :)

Deixe uma resposta

Gostou do Conteúdo?

Fortaleça o projeto seguindo a gente no Youtube!